NotÍcias

Imprimir esta matéria Enviar para um amigo Ver todas as matérias

Sony Music contrata Maurício Soares e investe na música gospel

Publicado em 26-02-2010

Texto e foto: Marcos Bin

Tags: mercado gospel  gospel e popular  

Maurício Soares deixou a Graça Music para iniciar o projeto de música gospel da Sony Music brasileira

Líder do mercado fonográfico brasileiro, a Sony Music agora volta seus olhos para a música gospel, segmento menos afetado pela crise que há anos atinge as grandes gravadoras.

O primeiro passo nesse sentido foi a contratação de Maurício Soares, executivo experiente, que estava na Graça Music e tem passagens por MK, Line Records e Toque no Altar. O próximo estágio é a montagem de um poderoso cast, que já tem um nome confirmado: a banda paulistana de rock Resgate, ex-Gospel Records.

Mas a intenção é ir ainda mais longe. Segundo Maurício Soares, a implantação do projeto de música gospel na Sony Music brasileira servirá como base para as demais filiais da major na América Latina.

Em uma entrevista exclusiva para a EFRATA MUSIC, o executivo fala sobre os planos da Sony para a música gospel no Brasil e sobre a entrada de uma multinacional secular em um mercado dominado por empresas de cunho religioso.

Quais são os planos da Sony para o gospel?

Inicialmente, temos como meta montar um cast com 15 a 20 artistas nacionais. Também estamos finalizando as negociações para distribuirmos com exclusividade no Brasil alguns selos gospel internacionais. O objetivo da gravadora, ao implantar este projeto, é tornar-se, em pouco tempo, referência de qualidade e de sucesso também neste segmento de mercado. Creio que em pouco mais de 12 meses já consigamos alcançar as empresas líderes do setor.

Uma nota publicada no site da revista Veja dizia que o Regis Danese teria sido o primeiro contratado gospel da Sony. Isso é verdade?

Esta informação não partiu de nossa assessoria. Talvez um jornalista a tenha colhido de pessoas que não têm qualquer contato com a nossa empresa e que acabaram o induzindo ao erro. Agora, em nosso processo de contratação, estamos conversando com diversos artistas de diferentes estilos, gravadoras e regiões do país. É natural que em pouco tempo aconteça um êxodo de nomes consagrados do meio gospel para nossa gravadora, mas isso faz parte da dinâmica de qualquer mercado.

Já existe alguém contratado? Há previsão de lançamento dos primeiros CDs/DVDs?

Nos próximos dias, assinaremos os primeiros contratos artísticos. O primeiro será com a Banda Resgate, que voltará aos estúdios depois de 3 anos sem lançar nada inédito. As próximas contratações serão artistas da área pentecostal, adoração e pop. Na verdade, estamos com muitas opções para analisar. Este tem sido um momento de muitas conversas.

Vocês estão buscando cantores e bandas com um perfil específico?

Não estamos focando em estilos, mas sim em nomes específicos. Nossa intenção é montar o cast com alguns dos principais nomes do gospel nacional. Depois desta primeira fase de contratações, vamos abrir espaço para alguns artistas jovens.

Certamente, muitos evangélicos vão questionar a espiritualidade dos artistas gospel da Sony e dos próprios discos lançados pela gravadora, já que uma multinacional "secular" visa apenas ao lucro. O que você diria a essas pessoas?

Tenho tantas respostas para este questionamento, mas vou destacar apenas algumas para facilitar. Primeiro, a Sony Music nos EUA é a maior gravadora de música gospel daquele país e não há qualquer constrangimento ou problema na situação. Segundo, a Sony Music no Brasil é líder de marketshare no mercado fonográfico e creio que, para a música gospel nacional, este projeto será uma abertura como jamais tivemos em tempos atrás. Se a função da música, entre outras coisas, é evangelizar o maior número de pessoas, com este projeto iremos atingir milhões de pessoas que jamais tiveram acesso às músicas cristãs nos canais de divulgação e distribuição gospel. Imagino que qualquer empresa, e gravadoras evangélicas estão neste nível, tenha que buscar lucro em suas atividades. Eu trabalho há 20 anos meio gospel e por onde passei fui extremamente cobrado por resultados, metas e lucros. A Sony Music, por ser uma empresa multinacional, é auditada periodicamente por equipes internacionais e sempre é aprovada com louvor. Pagamos todos os fornecedores, impostos, artistas, compositores e despesas absolutamente em dia. Infelizmente, sei de algumas gravadoras evangélicas que têm o discurso “evangelicamente correto” mas que sonegam impostos, que não pagam em dia seus artistas e uma série de outros problemas. Então, para estas pessoas que têm medo da entrada de uma empresa secular no mercado evangélico, só posso afirmar que o tempo irá mostrar os benefícios para a música gospel com a chegada da Sony Music em nosso meio.

Comentários

Copyright Efrata Music Editora. Desenvolvido por Universo Produções.

Visite o canal da Efrata Music no YouTube e assista a vídeos exclusivos.