MÚsica Gospel

POR ELVIS TAVARES
elvistavares@efratamusic.com.br
Imprimir esta matéria Enviar para um amigo Ver todas as matérias

Conjuntos, bandas e grupos

Publicado em 12-07-2006

Tags: história da música gospel  

O mais recente CD do grupo Novo Som tem a música

Nos primeiros anos em que voltei minhas atenções para a música gospel brasileira, a coisa funcionava de forma bem diferente em relação aos dias atuais.

Corria a segunda metade dos anos 70 e eu era um jovem de mais ou menos 15 anos de idade quando já ouvia, na antiga Rádio Copacabana AM, aqui do Rio de Janeiro (a principal emissora evangélica de então), alguns dos intérpretes de gospel nacional.

Era tempo dos Vencedores por Cristo, com o inesquecível long-play Se eu fosse contar..., no qual todas as faixas eram conhecidíssimas do público.

E, aproveitando a deixa, quero citar, de chofre, o já transformado em CD De vento em popa, de 1978, cuja música-título navegava na praia da bossa nova. Cantei bastante os versos "De vento em popa/ O sol por cima/ Embaixo o mar/ A voz tão rouca já desafina/ Se vai cantar..."

Em carreira concomitante, tínhamos o Conjunto Novo Alvorecer, que, sob a direção do crooner Daniel Ramos - num visual que contava com uma vasta cabeleira, o que gerava desconforto para alguns radicais de plantão - trazia, entre tantas boas obras, a canção Chama viva , muito usada pelos grupos musicais das igrejas. Felizmente, alguns trabalhos do Novo Alvorecer foram masterizados e postos à disposição dos seus admiradores pela Califórnia Discos, atualmente.

Também originário da Terra da Garoa, o Grupo Som Maior, não diferentemente dos demais citados, apresentava uma musicalidade que ia ao encontro do gosto dos mais jovens, tornando-se uma grande revelação daquelas eras.

Em seu primeiro disco, a maior parte feito de versões, o grupo trazia melodias como Brilho celeste, Cristo andou por este vale e o nigro spiritual Desce às águas , que tocaram profundamente na alma de muitos. Mais adiante vieram Ele é a razão de viver e Não sei por que.

Cristina Audi
Outra lembrança gostosa, sem sombra de dúvida, ficou no coração do povo cristão quando se ouvia Mais de Cristo, na belíssima leitura do contralto do grupo, Maria Cristina Audi, hoje radicada na Inglaterra, e Deus tem um plano, imortalizada por Lia Motta Oliveira.

Contemporaneamente, no Rio de Janeiro, militavam no louvor os conjuntos Sonoros e Cantores de Cristo.

O Sonoros - do qual Geraldo Abdo, hoje no Novo Som, foi integrante - tinha uma peculiaridade: além de sua música, que essencialmente era direcionada à camada jovem das igrejas, no repertório havia também canções orquestradas, o que em nada diminua o carisma do grupo junto à rapaziada. A canção Terra prometida foi algo de sensacional de se ouvir naquele tempo (e ainda o é!).

Já o Cantores de Cristo vinha com uma batida mais à frente de seu tempo, como via-se (e principalmente ouvia-se) na escatológica O mundo está por um fio, constituindo-se em uma gafe incorrigível caso se esquecesse de Bonança (rock progressivo à la Pink Floyd).

Abrimos espaço para o Conjunto Solene Som, de apenas um disco, porém responsável pelo surgimento de um dos maiores compositores brasileiros.

Falamos de Edson Fernandes Coelho, nosso grande Edson Coelho. Um sucesso do Solene Som, sem dúvida, foi Quanto almejo (Dele).

Assim como o fenômeno do aparecimento de várias bandas musicais deu-se nos anos 80, no meio secular, o mesmo ocorreu no gospel. Vieram Banda e Voz, Grupo Logos (reminiscência do Grupo Elo), Banda Gerd, Sinal de Alerta, Rebanhão, Atos II (atual Kadoshi), Altos Louvores, Novo Som, Grupo Álamo, Grupo Canto da Terra, Banda Resgate, a maioria deles ainda em plena atividade.

A Banda e Voz manteve seu tradicional estilo no CD "Ao primeiro amor"
A Banda e Voz lançou recentemente, pela Graça Music, o CD Ao primeiro amor, mantendo-se fiel ao estilo que a consagrou desde os tempos de Jesus virá (Natan Brito).

O pop-rock do Sinal de Alerta (que também está com CD novo na praça, intitulado Música no Ar) sempre foi algo contagiante de se ouvir. Alguns (como eu) jamais esquecerão de Nuance, Tempos modernos, Meninos e meninas, Meu barquinho e o hit do grupo, a balada Creio, de Milton Jorge, que conta com algumas regravações, como, por exemplo, do mano Carlinhos Félix.

A modernidade como sinônimo de evolução musical fez surgir diversos grupos, bandas, equipes, e todos mantendo a sua importância no gospel song de hoje. Contudo, aqueles conjuntos, como era mais comum de serem chamados, fizeram, zelosamente, seu papel. Tanto é que permaneceram vivos na memória das pessoas.

Desde aquele primeiro vinil do VPC, em 1968, até agora, o pessoal não tem deixado a batuta cair. Louvemos a Deus por isto!

Vale a lembrança: o termo Gospel vem da união das palavras inglesas God (Deus) e Spell (palavra). Juntando as duas temos o significado de Palavra de Deus, ou seja, EVANGELHO.
Elvis Tavares é advogado, pós-graduado em Propriedade Intelectual pela PUC/RJ, cantor, compositor, produtor, escritor, radialista e manager da Efrata Music

Comentários

Copyright Efrata Music Editora. Desenvolvido por Universo Produções.

Visite o canal da Efrata Music no YouTube e assista a vídeos exclusivos.