Espaço do Compositor

POR ELVIS TAVARES
elvistavares@efratamusic.com.br
Imprimir esta matéria Enviar para um amigo Ver todas as matérias

Os duetos inesquecíveis do gospel nacional

Publicado em 15-01-2007

Tags: João Alexandre  Ozéias de Paula  Álvaro Tito  

João Alexandre e a esposa Tirza são responsáveis por um dos mais belos duetos do gospel nacional, na música "A essência do amor"

Alguns intérpretes, em determinada fase da carreira, convidam outro cantor ou cantora para participações especiais em seus discos. Isto é deveras interessante porque reúne vozes e estilos diferentes, como também traz a grata surpresa de encontros até então inimagináveis.

Vale, já de estalo, rememorar a participação inusitada de Joseli Scarabelly na lamentosa canção Agora sei Senhor, escrita e cantada por José Carlos, nos distantes anos 70 (aquele mesmo da conhecida Eu vejo Deus), na qual a cantora solta seu soprano lírico realizando, em solfejo, um casamento notável com a harmonia da música do pernambucano de letras atemporais para a sua época.

Para ilustrar mais um pouco nossa fala, resgatamos, lá do trigentésimo anos oitenta, o requisitadíssimo Ozéias de Paula, com Otoni de Paula (irmãos de carne e de crença), fazendo uma dobradinha assaz agradável ao cantarem Hey, você (Vamos dar as mãos), música do repertório do "cedezão" (vinil) intitulado Reina o Senhor, gravado pelo segundo de Paula.

Ainda da citada década, os discófilos contumazes e admiradores da arte cantante de Álvaro Tito vibraram ao ouvi-lo no dial inserindo a voz na canção Meu maior motivo (Vou te amar), ladeando a cantora Suely na faixa retro que compunha seu LP Deus vai com você, da extinta Desperta Brasil.

O Pai da Black Gospel Nacional ainda repetiria a dose convidando para um disco próprio, batizado de Sentimentos, o amigo Jeferson Monteiro (ex-Altos Louvores) para juntos "brincarem" na interpretação de Aleluia vou cantar. Se você não a conhece, vale a pena conferir, afinal, esse compact disc sobrevive nas lojas do ramo. Amém, por isto!

Os irmãos Otoni e Ozéias de Paula na antiga Assembléia de Deus em Santa Cruz (RJ)
Nessa esteira sonora, outros exemplos podem ser lembrados, como o de Luiz de Carvalho e Nelson Ned cantando Em fervente oração (Is your all on the altar?), de Elisha Hoffman, em fonograma da Bompastor; Adriana Maia e Dudu França em Cadê a igreja?, tutelados em disco pela Top Gospel; Aline Barros e Robson Nascimento em Sonda-me; Edílson Maia com Shirley Carvalhaes na educativa Mulher de Deus; e Cristiane Carvalho e João Pataro em Nunca vou dizer adeus.

Ressalte-se que até Carlinhos Félix já apareceu como partner da Banda e Voz, numa combinação gostosa em Falando de vida, pela antiga gravadora Pioneira Evangélica.

Memorável, aos nossos olhos e ouvidos, é a construção vocálica entre João Alexandre e Tirza (estes, de fato, marido e mulher) na lindíssima A essência do amor, lançada pela Gospel Records, em plenos anos 90, sendo, indubitavelmente, uma canção que não envelhece.

Intérprete de recursos inesgotáveis é Jeanne Mascarenhas. Isto é perceptível não só em seus trabalhos, como também em exibições em que libera seus agudos possantes, como ouvimos na canção Libertador, cantada e composta por Cláudio Claro. Nela, JM participa soltando a voz, sempre ao fundo, contribuindo na vibração que a música nos oferece.

Jeferson Monteiro, ex-integrante do Grupo Altos Louvores. Participou do CD "Sentimentos", de Álvaro Tito, fazendo uma dobradinha na música "Aleluia vou cantar"
Há gravações, no entanto, em que o duo pode impressionar a mídia e muito mais o público pelo fato de um desses duetistas ser novato, enquanto o outro já é consagrado. Foi o caso de Pedrinho Silveira tendo a visita de Aline Barros em seu disco, cantando Caminho pra felicidade (conforme já divulgado neste site).

Essas participações especiais são amplamente chamativas porque permitem a interação musical entre intérpretes de gravadoras diferentes. Se tal não ocorresse, dificilmente ouviríamos Sérgio Lopes (então contratado da Line Records) cantar a linda obra A samaritana em companhia de Fernanda Brum (da MK Music). O "Poeta" repetiu a façanha, porém de forma invertida, ao fazer dueto com Léa Mendonça na canção Vem ficar comigo, faixa do disco Uma nova unção (MK Music), reeditando momentos da atuação dos dois enquanto integrantes do Grupo Altos Louvores.

Enfim, testemunhamos Ed Wilson cantando com Leonor; Marco Aurélio com Marina de Oliveira; Rose Nascimento que, recentemente, deu um toque especial ao novo CD de Robson "Anjo" Monteiro, na regravação do sucesso dela Santo, Santo, Santo.

Marcos Góes convidou a cantora Melissa e, agindo como verdadeiro cicerone, apresentou-lhe a canção A tua fé te salvou, vai-te em paz, fazendo, juntos, um belo passeio melódico no penúltimo cd do cantor.

Para fechar a coluna, acusamos que as rádios executam, à exaustão, pelo Brasil afora, a música Sonda-me na inesperada e aprovada junção de sons entre Marco Aurélio e Vitorino Silva.
Elvis Tavares é advogado, pós-graduado em Propriedade Intelectual pela PUC/RJ, cantor, compositor, produtor, escritor, radialista e manager da Efrata Music

Comentários

Copyright Efrata Music Editora. Desenvolvido por Universo Produções.

Visite o canal da Efrata Music no YouTube e assista a vídeos exclusivos.