Busca:

MÚsica Gospel

POR ELVIS TAVARES
elvistavares@efratamusic.com.br
Imprimir esta matéria Enviar para um amigo Ver todos as matérias

A primeira safra das cantoras evangélicas

Publicado em 13-06-2007

Tags:   

Na foto maior, Josely Scarabelli em 1969, na capa de seu 1º LP; no detalhe, a cantora hoje

Então Mirian, a profetiza, a irmã de Arão, tomou o tamboril na sua mão, e todas as mulheres saíram atrás dela com tamboris e com dança (Êxodos 15:20).

A passagem bíblica acima permite-nos considerar Miriam como a primeira cantora evangélica de que se tem registro na história, possivelmente interpretando, ao vivo, uma música chamada Só o Senhor é Deus!

Maria do Carmo, Josely Scarabelli, Márcia Costa, Zilanda Valentim, Sara Araújo, Shirley Carvalhaes, Mara Dalila, Débora Miranda, Denise, Guiomar Victor, Berenice da Silva, Sofia Cardoso, Marina de Oliveira, Marilene Santiago, Eula Paula, Suely, Meire Reis, Léia Sora, Lidia de Assis e Abi são algumas intérpretes surgidas na gospel music entre os anos 60 e 80.

Seus nomes pontuaram (e algumas ainda pontuam) pelas rádios do Brasil, levando alento para muita gente, através das mensagens trazidas pelas vozes marcantes que os discos reproduziam.

Quando a música "cantou" mais forte em mim passei a ser um audiófilo inveterado e consumidor ferrenho de elepês (compacto quase que inexistia para o gospel). Recordo bem o ano de 1976, quando, num mesmo dia, meu pai resolveu-se por comprar uma vitrolinha Phillips, portátil, bege, e a reboque alguns discos dos singers de então. Até bem pouco tempo ainda existia a carcaça daquele toca-discos na casa da minha mãe. Olha aí a questão da preservação da memória de novo!

As cantoras Denise (à esq.) e Guiomar Victor A pernambucana Abi na capa do LP A Doce Paz do Senhor Marina de Oliveira em foto recente e na capa de seu 1º álbum, Imenso Amor As cantoras Débora Miranda (à esq.) e Léia Sora Shirley Carvalhaes na capa do CD Página Virada
Voltando àquela loja cujo dono era o cantor Hélio Melo (egresso do mundão), vem-me à lembrança que coube a mim a escolha dos long-plays. Entrei no templo, do Ozéias de Paula; Morada de Deus, de Shirley Carvalhaes; Vitória de Cristo, do Elson Rodrigues; e Jeová, Soberano dos Céus, de Josely Scarabelli. Quarenta e oito músicas que foram ouvidas à exaustão naquela radiovitrola em módulo mono. Depois veio um som da Grundig que foi uma verdadeira sensação!

Bem, para falar da Josely, por exemplo, seria necessário um espaço gigantesco, tal é a grandeza de sua carreira. Dona de um soprano afinadíssimo, gravou 38 trabalhos musicais numa jornada de puro sucesso.

Na minha concepção e gosto pessoal, o vinil Quero sempre cantar - que trouxe a empolgante música Se quiseres saber quem eu sou - é uma obra-prima. Também podemos citar Vivo a vida cantando, Ser feliz, O amor de Deus não passa, O rosto de Cristo, Por isso eu te amo, Senhor, Faz-me uma bênção e muitas outras. Seus admiradores não estão órfãos de ouvi-la em trabalho atual, pois a cantora tem à disposição os discos Sou filha do Rei, em que incluiu a música Venha cantar (Paulo Silva / EFRATA MUSIC), e Cidade santa, ambos de empreitada independente.

Já Shirley Carvalhaes trilha um vitorioso caminho musical iniciado com o elepê que trouxe o bolero Acima das estrelas como título. Um fato insólito que marcava esse vinil era que Shirley só era ouvida de um lado. Do outro estava Wilson de Almeida, ficando cada um na sua metade.

Enfim, são 29 discos produzidos ao longo da jornada, sendo uma cantora realmente conhecida do Oiapoque ao Chuí. Seus discos podem ser postos à venda sem que o chavão
"a propaganda é a alma do negócio" seja a preocupação imediata do produtor fonográfico, tal é o numerário expressivo de seu público-cativo. Página virada é o compact disc vendendo atualmente nos magazines.

E como sempre primamos por homenagear as façanhas de nossos grandes nomes, gostaria de consignar a excelente performance da Shirley Carvalhaes na gravação que fez, ao vivo, da balada Uma vez mais, Senhor, nos anos noventa, numa coletânea da Nancel Produções. A emoção e a garra que ela colocou na voz levam o ouvinte à profunda comoção. SC pertenceu ao cast da Warner Music, onde freqüentou assiduamente os hit parades com Bate coração.

Na década de oitenta, foi a vez da pernambucana Abi aparecer em disco, pelo selo Juerp, com um timbre assemelhado ao da Josely, porém com diferenciado estilo. Como destaque citamos a efusiva canção De manso te busquei. No entanto, depois de gravar Mensagem à nação, a cantora casou-se, mudando-se para os United States, abandonando a carreira discográfica, segundo testemunho da amiga Cristiane Carvalho, que foi sua contemporânea na arte do canto. A Cristiane, por seu turno, foi a responsável pelas excepcionais interpretações de Via dolorosa e Até que te encontrei.

Em determinada fase da chamada década perdida (economia em crise na América Latina), parecia haver uma espécie de mesmice nos ritmos musicais, o que coincidiu, em 1986, com o surgimento de Marina de Oliveira, com seu álbum Imenso amor. Embora o disco fosse regado a versões de gospel norte-americano, a canção Faça um teste tornou-se uma constante nas rádios e na boca do povo cristão.
Elvis Tavares é advogado, pós-graduando em propriedade intelectual pela PUC/RJ, cantor, compositor, produtor, escritor e manager da Efrata Music
Copyright Efrata Music Editora
Desenvolvido por Universo Produções